segunda-feira, março 15, 2010

PALESTRANTE DEVE PAGAR PARA PALESTRAR???

No fim do ano passado, com a empolgação do MBA, resolvi que queria divulgar minha pesquisa sobre teste de acessibilidade em eventos sobre teste e qualidade de software. Fiz uma pesquisa e, na época, achei 4 eventos previstos para este ano. Para 2 deles eu submeti artigo, um eu perdi a data (enrolada com o MBA) e o quarto não aceitava artigos submetidos.

O artigo foi aceito em um dos eventos. Só que eu identifiquei 2 coisas que considerei estranhas na organização do evento.

A primeira é que meu artigo foi mandado para 2 revisores, sendo que um deles queria mudar toda a essência do meu artigo: alterar título, resumo, incluir novas partes... Ou seja, é como se o revisor dissesse: "Gostei do seu tema, mas seu texto está uma droga. Escreva de novo." Poxa, se não gostou do meu texto, por que selecionaram-no?!?

Quanto a isso, eu "bati o pé" dizendo que não iria fazer nenhuma mudança drástica no trabalho, o que no fim foi aceito.

A segunda é que queriam que eu me inscrevesse como um participante qualquer, ou seja, que eu "pagasse para palestrar". Já participei de alguns eventos como palestrante, inclusive fora da área de computação, e o que eu vejo é sempre um tratamento diferenciado para os palestrantes, que varia de evento para evento, mas cito algumas das facilidades que já tive em eventos variados: almoço pago, sala vip, pagamento de hospedagem e transporte. Tudo isso sempre pensando que é necessário tratar bem o palestrante, afinal, parte das pessoas que irão ao evento estão interessadas no que ele tem a falar.

Não que eu só iria palestrar se eu recebesse um tratamento super vip, afinal sou uma reles mortal, mas eu acho um absurdo ter que "pagar para palestrar". Já que, como palestrante, eu já teria despesas para me deslocar ao local do evento, não custava nada não ter que pagar a inscrição. Eu não tenho nenhuma necessidade de "aparecer" pra me submeter a isso.

Até cheguei a expor a situação em algumas listas de discussão na área de informática das quais faço parte, dentre elas uma na área de teste, pois eu queria saber se meu ponto de vista era coerente ou não. Ouvi opiniões das mais variadas, mas a maioria achou tudo um absurdo e que eu deveria analisar se valia a pena participar de tal evento. Com este apoio, tomei a decisão que eu já desejava tomar, que era a de não participar do evento.

Alguns dias depois, fui surpreendida com um e-mail da organizadora do evento que não aceitava submissão de artigos. Ela disse que acompanhou a discussão sobre o assunto numa das listas sobre teste de software e ela disse estar tentando incluir no evento que ela organizava algumas palestras nacionais, uma vez que já haviam diversos convidados internacionais. Enviei meu artigo e um mini-currículo, sem muitas esperanças, pois olhei a grade provisória do evento e não conseguia visualizar onde encaixar mais uma palestra. Mas pelo menos esses dias recebi a resposta de que se interessaram muito pelo tema.

Isso mostra, pelo menos, que o tema Acessibilidade desperta interesses. Se não deu certo em nenhum desses eventos, paciência. Pelo menos já tenho o convite para palestrar novamente no Workshop da Pós-Graduação da UnB no fim do ano.E assim, aos pouquinhos, a acessibilidade de sites é divulgada.

2 comentários:

cy83|250v137, a conselheira cibernética. disse...

Que show Anninha!!! Pois fez muito bem. Apoiada em 100% na sua atitude. E que venham as conferências. Um dia ainda vou assistir vc pelo skype palestrando na Europe! (mas vc VAI ter que passar na Guerlain Paris pra mim!)
Bjoss!

Borboleta Roxa disse...

Pode deixar que no dia que eu palestrar na Europa, eu trago presentinho da Guerlain pra você!

Beijos!